Vem mover+ Regista-te!

saber+

partilhar
Saúde

O Sol e a Pele

Por Andreia de Menezes e Pinto, publicado em 12 Agosto, 2011
POPULARIDADE

Durante o verão os alertas sobre a exposição solar são reforçados, apesar de não ser esta a única estação do ano para a qual devemos estar despertos para a prevenção do cancro da pele.  

Quais os efeitos do sol na pele? 

Existem diferentes tipos de efeitos do sol na pele, estão estes agrupados em dois grupos.  

- Efeitos imediatos ou agudos (dependendo da intensidade da radiação, duração da exposição e tipo de pele da pessoa):

  • Eritema solar (queimadura solar de grau 1): o organismo produz uma série de respostas cujo objectivo é proteger a pele de agressão solar. “Um dos mecanismos mais importantes é o da produção da melanina que através da pigmentação da pele (bronzeado) actua como filtro solar”.  
  • Queimadura solar grau 2 ou 3: dor severa, flictenas (bolhas), cefaleias (dor de cabeça), confusão mental, náuseas ou vómitos, ou síncope (desmaio).

- Tardios ou crónicos:

  • Na maioria das vezes, os cancros de pele aparecem anos depois da exposição solar excessiva. Porém, também a exposição solar repetida (mesmo sem queimadura solar) é responsável pelo envelhecimento da pele, tornando-a mais seca, pouco elástica e com aparecimento de rugas, manchas, aparecimento de sardas do sol, podendo conduzir mais tarde a cancro da pele. 
     
Os Tipos de Cancro da Pele:

- CBC (Carcinoma baso-celular): Baixa malignidade, evolução lenta. Raramente se metastiza para outros órgãos. Mais frequente na face e pescoço em pessoas idosas, fazendo ferida e podendo sangrar.
- CEC (Carcinoma espinocelular): é localmente agressivo, mas de evolução rápida e pode metastizar. Predomina nas áreas envelhecidas pelo sol. Caracteriza-se por um nódulo que vai crescendo de semana para semana e está muitas vezes coberto de uma crosta seca, podendo também fazer ferida e sangrar. Mais comum em trabalhadores rurais, pescadores, etc.
- Melanoma: menos frequente mas mais preocupante; se não for detectado precocemente pode ser mortal. O local mais frequentemente atingido é o dorso (costas) no homem e dorso e perna nas mulheres. No inicio não é proeminente em relação á pele, surgindo como uma mancha que vai crescendo e adquirindo um contorno irregular com diferentes cores sendo que a cor negra é muito suspeita.
 

Prevenção:

Ao tomar medidas preventivas, está a contribuir para a diminuição da incidência do cancro da pele e para a detecção precoce de lesões ou tumores na sua fase inicial.  
As estratégias de prevenção passam sobretudo pelos correctos cuidados básicos como a redução da exposição ao sol, evitar os solários e observar diariamente a pele.  
 

Quais são as principais recomendações :
  • Evitar a exposição ao sol, sobretudo em períodos de maior intensidade de radiação, quer fora quer dentro de casa.  
  • Usar roupa adequada a uma protecção solar eficaz, cobrindo a maior área corporal possível.  
  • Usar boné ou chapéu, preferencialmente com abas para protecção das orelhas.  
  • Usar óculos com lentes capazes de filtrar radiação UVA e UVB.  
  • Usar sempre protector solar com FPS entre 15 e 30 quando exposto ao Sol, tendo o cuidado de o aplicar 30 minutos antes do início da exposição e o reaplicar de 2/2 horas, a seguir ao banho e sempre que haja transpiração excessiva.  Aplicar o protector solar em todas as áreas expostas, incluindo lábios, orelhas, mãos e pés.  
  • Não esquecer que a exposição é maior quando existem superfícies reflectoras (por ex. areia, água e neve).  
  • Evitar ao máximo a exposição solar até aos 18 anos em geral, e nos primeiros 12 meses em particular.  
  • Se o tempo estiver nublado, ter particular cuidado, pois a ausência de sensação de calor por filtração da radiação infra-vermelha pode fazer aumentar o tempo de exposição à radiação UV não filtrada.  
  • Evitar o bronzeamento com lâmpadas artificiais.  
     
 Auto-examinação:

Uma das medidas de prevenção do cancro é o auto-exame da pele, que deve ser realizada de dois em dois meses. É uma prática que ajuda a conhecer a sua própria pele e a identificar se houve o aparecimento ou alterações de sinais. Isto permite detectar a existência de um tumor em fase inicial, e portanto, curável. 

 

Assim, auto-examina-se nas seguintes áreas:

  • Rosto e orelhas;
  • Couro cabeludo, com a ajuda do secador;
  • Palma e costas das mãos, unhas e antebraços;
  • Cotovelos, braços e axilas;
  • Pescoço, peito (também por baixo dos seios no caso de ser mulher) e barriga;
  • Ao espelho: verificar a nuca, ombros e costas;
  • Nádegas e face posterior das coxas;
  • Sentado: observar a face interior das coxas e pernas, bem como o peito, planta e as unhas dos pés.  
  • Com a ajuda de um espelho, examine também a região genital. 

Se tiver muitos sinais atípicos (diferentes) pode também ser importante realizar registos fotográficos dos mesmos, podendo assim compará-los. Consulte um médico sempre que tiver dúvidas ou quando se sentir insegura com algum dos sinais. 

 

Referências:
Revista Setúbal - Guia de Saúde: Óculos de Sol e Protecção UV. Câmara Municipal de Setúbal, n.º 9, 2011.  
SILVA, Hugo; FERRÃO, Carlos - Cancro da pele: podemos preveni-lo? Revista Portuguesa Clínica Geral; n.º19, 2003.

 


Andreia de Menezes e Pinto

Licenciada em Enfermagem

ver mais


VOTA

Deves fazer o login para comentar.
COMENTÁRIOS (0)
PUB

SABER+Nutrição

Não abuses na quantidade de alimentos às refeições! Se durante as festividades não consegues resistir prova pequenas quantidades.

outros artigos

especialistas

Desafio saudável

3567 participantes

0 Kg perdidos

0 cm perdidos

12 291 Km percorridos

uma iniciativa
parceiros
O Mover+ não substitui o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física.
0.0195